Resenha de O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde

18 maio 2014

Aqui vai uma resenha do primeiro livro que lemos este ano nas aulas de Português. Selecionada por nós entre outras quatro que produzimos, esta foi escrita pela Sofia, pela Yara, pela Tainá e pelo Henrique.

Clássico suspense de Oscar Wilde, O Retrato de Dorian Gray discute sobre o desejo da juventude e da beleza eternas, e como essas duas coisas podem ser erroneamente associadas à pureza e à bondade.
Dorian Gray é um jovem bonito, elegante, rico e ingênuo que se deixa levar por desejos fúteis, mas “importantes” para a sociedade.
Não deixe de ler um ícone da literatura britânica que lhe trará diversas reflexões sobre o famoso ditado “as aparências enganam”.

Categoria: Português | Tags:

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! FINAL

17 nov 2013

(continuando…)

Enquanto isso, na pizzaria, a confusão ficava cada vez pior. Ana Clara ouviu, de longe, a sirene do carro de polícia e ficou desesperada. Avistou uma bolsa desconhecida, escondeu nela a sua magnum e saiu correndo em círculos, no meio da multidão, com o olho machucado. Quando os policiais entraram no recinto, todos congelaram por um tempo e logo começaram a dar explicações divergentes aos oficiais:
– Eu só estava querendo comprar uma pizza – disse uma mulher.
– Não! Ela me deu uma cotovelada – acusou um homem que estava com o nariz sangrando.
– Foram eles que começaram! – disse um garotinho, apontando para o grupo de amigos.
– Nós??? Claro que não! Não temos nada a ver com essa confusão! – disse Vinícius, tentando defender a turma.
Após muito tempo de discussão, a perícia tirou suas próprias conclusões e a polícia prendeu todos do grupo de amigos, menos Annie, que se escondeu no banheiro e Julius, que passava, no momento, por uma séria cirurgia para tentar salvar o seu bebê.
Ficaram desesperados, sem saber o que fazer e para quem ligar. Até que, de repente, começaram a ouvir um barulho que vinha do saguão de entrada da delegacia. Então avistaram um ser de capa preta:
– É o chuchu malvado?
– Não!
– É o Tony Ramos?
– Não!
– É o Batman! Estamos salvos!

Fim

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! Parte 6

29 out 2013

(continuando…)

Durante a chuva de balas voando pela pizzaria, um dos tiros foi certeiro: acertou em cheio o coração de Habisho, o rato, que estava apenas saboreando uma das rodelas de Calabresa. Outra das balas atingiu o dedo mindinho do pé de Julius que, muito mal-humorado, teve que ir ao hospital, onde, ao invés de ser submetido ao procedimento que a situação exigia e levar alguns pontos, foi levado a uma sala de fecundação e, por engano, ficou grávido. Então, sua Fordência Mustafá Mond apareceu.

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Preparação da Festa da Primavera

24 set 2013

Texto coletivo de apresentação dos trabalhos da turma.

A ciência e o cinema!

Embarque nesta aventura onde você poderá conhecer os variados trabalhos da turma do nono ano! Para essa festa fizemos trabalhos relacionados com ciências no cinema.

Aqui você encontrará painéis, maquetes, móbiles e instalações sobre guerras, robótica, viagens no tempo, foguetes, entre outros!

Agora entre e aproveite essa aventura!

9º ano tarde

DSC_5188 (1)DSC_5150 (1)DSC_5135 (1)DSC_5128 (1)DSC_5125 (1)DSC_5094 (1)

Categoria: Sem categoria |

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! Parte 5

05 set 2013

(continuando…)

E no meio de toda a confusão, um manifestante saiu voando pela janela da cozinha, acertando em cheio uma cabeçada no psicopata com seu chuchu malvado, derrubando-o. Em seguida, o pizzaiolo saiu da cozinha furioso e gritou:
– E pense duas vezes quando for roubar as minhas pizzas…
O psicopata se levantou e atirou o chuchu, dizendo:
– Chuchu malvado, escolho você!
Desgraçadamente, o chuchu acabou atingindo o olho de Ana Clara, que começou a disparar em direções aleatórias.

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! Parte 4

01 ago 2013

(continuando…)

Nesse mesmo instante, um grupo de manifestantes invadiu o local e começou a protestar na pizzaria. Julius e Vinícius ficaram sem entender a situação, enquanto um dos manifestantes, que tinha fugido de um tratamento psicológico, ameaçava-os com um chuchu malvado.

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! Parte 3

12 jun 2013

(continuando…)

Então, começou uma briga terrível entre o garçom e Laura. Julius e Vinícius foram apartar e nisso Malaquias chamou os seguranças do estabelecimento. Ana Clara, sem pensar, tirou de sua bolsa a pistola Magnum que usava para sentir-se segura.

– Parem com isso! – disse ela, apontando a arma para a cabeça de Malaquias. Todos, surpresos, acataram a ordem.

Houve um breve silêncio e o garçom percebeu que acabou fazendo xixi nas calças.

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível! Parte 2

26 maio 2013

(continuando…)

Cada um de nós recebeu essa pergunta de uma maneira diferente.

Adriana, por exemplo, mostrou um sorriso que poderia ser visto até pelas costas: ela considerava que poderiam ir se divertir em algum lugar mais interessante. Annye, por sua vez, ficou nervosa: pensou que ninguém tinha feito a reserva e que perderiam a noite de reencontro. Ana Clara, por outro lado, ficou confusa e assustada, pois podia jurar que havia ligado e reservado a mesa: ela queria muito aquele reencontro. Laura, que tinha acabado de chegar de viagem da Europa, tendo inclusive adiantado o voo só para estar nesse reencontro, ficou irritada com a situação, pois ela tinha certeza de que sua amiga havia sim, lógico, feito a reserva. Julius ficou com raiva, pois odiava esperar, ainda mais porque amava pizza, e deu um sorriso irônico, pensando “que gente mais organizada…”. Vinícius, que tinha voltado ao Brasil por outros motivos, e que só comparecera à pizzaria porque a data escolhida para o reencontro havia coincidido com sua estadia por aqui, ficou tranquilo: tinha outras coisas em que pensar.

Porém, surpresa maior do que a fala do garçom, foi o que ocorreu a seguir: Laura, que na infância lutara Karatê, sentou um tapa no meio do rosto do pobre Malaquias, que caiu de costas em cima de uma mesa cheia de pizzas de muçarela e calabresa.

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

Texto coletivo – e imprevisível!

23 maio 2013

Estamos produzindo um texto coletivo! Não sabemos ainda se ele contará uma história romântica, se será um thriller policial, se poderá ser caracterizado como uma narrativa humorística ou qualquer outra coisa: os debates em sala é que darão rumo para a nossa criação!
Começamos nossa “imprevisível obra”, que, aliás, ainda nem tem título, criando, em grupos, seis personagens, que reúnem características físicas e psicológicas de seus autores – ou seja, da gente mesmo. Depois, fizemos um esforço imaginativo e inventamos como essas personagens seriam dentro de 14 anos (que é a idade média da turma) – o que estariam fazendo? Onde estariam vivendo? Etc.
Assim que tudo isso ficou decidido, partimos para a escrita da história propriamente dita.
Aos poucos, iremos publicando-a aqui, para que os leitores do blog possam acompanhá-la por etapas até que encontremos o desfecho. E não adianta nos perguntarem: nem nós sabemos o seu final!
Aí vai a primeira parte:

Assim que todos por fim chegaram à porta da pizzaria que escolhemos para nosso reencontro depois de tantos anos, decidimos entrar e nos dirigir ao primeiro garçom que nos aparecesse, informando-lhe de que o grupo que havia reservado a mesa de seis lugares já estava presente. Qual não foi a nossa surpresa quando o simpático Malaquias (o primeiro garçom que nos apareceu), respondeu-nos perguntando, com um sorriso no rosto:
– Mesa reservada? Vocês têm certeza?

(continuará…)

Categoria: Português | Tags: ,

Comentar

REVOLUÇÃO DOS BICHOS

02 abr 2013

Texto produzido pelos estudantes do 9ºT Adrielli, Arthur Pedroso e Catarina, após a leitura do livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell.

 

Uma revolução bem humana

 

Na Granja do Solar, um porco velho, chamado Major, contou para o resto dos animais da granja que deveria acontecer uma revolução. Os bichos iriam comandar, todos seriam tratados como iguais, não haveria seres humanos e cada um trabalharia de acordo com a sua capacidade.

Porém, o Major morreu e um porco tomou a frente da revolução: Bola de Neve.

Os animais conseguiram tomar a granja do dono, colocando-o pra fora, e a batizaram como Granja dos Bichos.

Tudo estava correndo bem, melhorando, até que um dia Napoleão, outro porco que também estava na liderança, tomou o lugar de Bola de Neve e o expulsou.

Napoleão, junto de Garganta, outro porco, comandava. Eles manipulavam os animais para que fizessem tudo o que queriam e não reclamassem, “mostrando” como eles eram bons e a granja estava melhorando.

Com o tempo, os porcos foram ficando mais folgados e só pensavam neles, não davam comida direito, os animais precisavam trabalhar muito mais, mas não percebiam isso e achavam que tudo era melhor.

Leia você mesmo e saiba como isso aconteceu, mas antes uma pergunta iremos deixar: existe diferença entre porcos e homens?

Categoria: Português | Tags:

Comentar